Balzaquiana? Não, não sou!

E hoje, que é sexta-feira, irei desembolorar no maior e melhor espetinho dos Alpes Suíços, o Espetinho da Maria. Minha primeira saída pra balada das minhas micro férias. Tá tudo bem que o Espetinho da Maria não é uma balada assim de baladona, mas é um ambiente familiar, o churrasquinho é gostoso, a breja é gelada e o filho dela (da Maria), um dos garçons, é um gatinho (tudo bem que ele tem apenas dezoito aninhos, mas já tem pêlo no queixo… Oi?). Então, por tudo isso, iremos ao Espetinho da Maria hoje. Depois, depois é só eu atravessar a rua, dar uns passitos e tô em casa. Quer balada melhor do que essa? Sim, né? Claro que as pessoas normais (ou não!), querem baladas mais e melhores! Ah, mas é que ando meio borocoxô, então prefiro assim, tudo pertinho de casa (quando não em casa!), pra me sentir mais segura.

Tá, já sei, não sabiam e que andava meio insegura, né? Mas eu não ando, só ando meio torta das idéias. Tem prazo de validade, don´t worry, be happy! Acho que faz parte da idade. As balzacas devem ficar assim como eu: tuduchatinha, tudusemvontade, tudureclamona e tudumetódica!

Pior é que nem ficam viu? Fui pesquisar o termo e descobri que:

Balzaquiana: Diz-se da mulher de aproximadamente 30 anos. O termo refere-se à obra do escritor francês Honoré de Balzac, que escreveu “A mulher de 30 anos”. Antes um pouco pejorativo, na época em que a mulher de 30 anos já era considerada “coroa”, hoje um rasgado elogio àquelas, que, aos 30, estão na flor da idade, atraentes não só por sua beleza, mas também por se encontrarem na plenitude de sua feminilidade, das conquistas profissionais, amorosas, familiares, financeiras, sociais, etc! Enfim, o apogeu de si própria, o supra-sumo da feminilidade, o equinócio hormonal entre beleza, vivência e independência.
E diz-se por aí, que a brasileira de 30, substitui fácil, fácil duas de 15… pelo menos é o que diz a maioria…

Fonte: google

untitledNão sou uma verdadeira balzaca… Onde está minha plenitude?

Passada… de ferro a vapor!

O pior é que agora vou ficar me perguntando qual a próxima fase depois de balzaca… Terceira idade, talvez?

Ó céus… 🙂

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s