E se…

E ontem, em pleno domingão de programação chata na TV aberta, e jiboiando no sofá, depois de uma noite loongaaa, regada a cerveja e bons papos, me peguei pensando nas minhas amigas e no rumo que nossas vidas tomaram. Todas são mães atualmente, sobrou apenas moá, sem filho… Quando estamos juntas, é como se eu fosse um estranho no ninho. Algumas têm marido (ainda), mas todas têm filho. Sem exceção. E eu, continuo na minha vida de mulher free e gosto dessa vida que levo, mas me pergunto como seria se ainda tivesse casada ou se tivesse tido algum filho deste casamento. Conheceria as pessoas que conheço hoje? Pensaria da mesma maneira que penso atualmente? Claro que não. De certa forma, gosto do rumo que minha vida tomou depois que desmanchei a casinha que montei me casando aos 18 anos, mas queria poder “assistir” minha vida se ainda estivesse brincando de casinha… Talvez estivesse com no mínimo uns 3 bacuris, cuidando de casa, marido e filhos. Viveria naquela sonhada casa de paredes brancas e grandes janelas. E eu ficaria na varanda todas as manhãs enquanto as crianças entravam no carro para serem levadas pelo meu marido para a escola. Depois eu voltaria para dentro de casa para pensar no que prepararia para o almoço…
Tá bom, já assisti o suficiente. Acho que não seria feliz por muito tempo. Onde ficariam, minhas noitadas com os amigos? Que horas ouviria meus CD´s? Quantas horas dormiria por noite, tendo que me levantar sempre que uma das crianças chorassem? Definitivamente, maternidade não é para todas. Marido também!
E quando eu estiver bem velhinha, talvez me arrependa de não ter tido um filho, mas aí, estarei velha demais para voltar atrás.


Música do fundo do baú: I wish it would rain down, Phil Collins

Anúncios

6 comentários sobre “E se…

  1. Seu blog j� me tornou um v�cio.N�o tem um dia que chegue no trabalho ou em casa e n�o olhe e deixe de dar gargalhadas ou me deixar pensativa com as coisas escritas, � quase uma novela matinal… =D

    Curtir

  2. Ahá! que bom que gosta dele… Como já te disse, adoro escrever e deixar que as pessoas leiam, e comentem (bem ou mal), é muito bom!! Bjinhos

    Curtir

  3. Já diria o poeta (se não me engano Gregório de Matos)”Filhos, melhor não tê-los, mas se não temos, como sabê-los? …tbm penso sobre isso mas no sentido inverso? como seria se nao tivesse meu filho…enfim, penso que nessa vida o mais importante é estar bem e graças a Deus filhos crescem (e como), mas estando bem, casada ou não, com filhos ou não é o que verdadeiramente importa..bjao!

    Curtir

  4. 1. Vicio
    Também me sinto um pouco viciada no seu blog. Rio, me atualizo, penso e reflito sobre os assuntos e sobre quem pode ser…e me reernergizo.
    beijos
    Clarissa

    Curtir

  5. Oi, amiga!! Que saudades de vc… Ás vezes escrevo as coisas e fico pensando se vc lê. Tem momentos que me pego escrevendo e imaginando o que vc comentaria quando lesse!! Saudades, saudades!! Bju

    Curtir

  6. Olá Miss;

    Bem, sou pai há 1 ano e 11 meses e 9 dias e posso te dizer com todas as letras, á maravilhoso!! Claro que conflitos pessoais e dúvidas sempre existem, mas a família vale muito mais que quaisquer valores que aprendamos nas noitadas e olha que de noitada eu fiz doutorado, pois tive casa noturna e trabalhei nela por vinte anos de minha vida, mas nada supera o prazer de chegar em casa e escutar aquele gritinho alegre de “tatai, tatai…!!!” (ops! quase molhei o teclado…). Talvez lá na frente, em algum momento eu me irrite e me decepcione com meu filho por alguma razão, mas quem disse que a vida é fácil? E quem disse que ele tem que pensar e agir como eu? Ele deve apenas ser feliz sem atrapalhar a vida de ninguém e mesmo que eu passe dificuldades com ele, nada supera esses momentos que Deus tão generosamente reservou a mim! Vale a pena! Que você possa encontrar o parceiro ideal para tornar a sua vida ainda mais feliz que as noitadas e “amigos” , que sempre são de momento e família, quando bem construidas, são para sempre. Deus a abençoe!

    Abçs

    Carlos

    Dani diz: Pois é Carlos, pode ser que um dia eu sinta falta de não ter constituido uma família, como as pessoas “normais”, mas atualmente, estou feliz com a vida que de certa forma, eu escolhi… Como já comentei neste post e em outros, um dia fui casada e um dia, pensei em filhos. Mas hoje… Tsc, tsc! Acredito que não nasci pra ser mãe, nem esposa convencional! Mas admiro todos que são e são felizes!
    Bjuu

    Curtir

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s